Busca:
Notícias Notícias:
Publicada em 07/08/2019 às 15:34
Pacientes dividem espaço com corpos no CER da Barra da Tijuca
Pacientes dividem espaço com corpos no CER da Barra da Tijuca
foto: Divulgação



Pacientes internados na Sala Vermelha do CER da Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, estão dividindo espaço com corpos. Segundo os funcionários não há espaço no necrotério.

“Pacientes lúcidos ainda e tendo que lidar com essa situação de ficar vendo esses pacientes mortos, no meio da Sala Vermelha, por não ter espaço no local adequado que é o morgue, o necrotério”, diz o funcionário.

A Sala Vermelha é onde ficam os pacientes mais graves. "Numa Sala Vermelha que a gente tem capacidade para 14 pacientes, a gente chega a 20. Já chegou a 25. Nesse final de semana a gente tinha 18", contou o funcionário.

O pai da Camila está internado na Coordenação de Emergência (CER) da Barra desde sábado (3), depois de ter sofrido um AVC (acidente vascular cerebral).

“Ele estava sem sonda. Tinha sonda lá dentro e ninguém deu nada. Ele estava desde segunda-feira sem comer. E eu pedindo sonda, pedindo socorro. E por negligência médica, agora ele está na Sala Vermelha, sendo entubado nesse momento. E é só Deus”, lamentou Camila.

Os profissionais da CER da Barra trabalham sob forte pressão. De acordo com funcionários, muitas vezes eles se veem tendo que escolher qual paciente vai receber o tratamento adequado, o que pode ser a diferença entre a vida e a morte. Tudo por causa da baixa quantidade de remédios, insumos e equipamentos.

"Falta monitor para colocar paciente. Também faltaram bombas infusoras e ventiladores mecânicos. Muito complicada essa situação porque a gente teve que ficar escolhendo qual paciente que ia usar tal equipamento e qual não ia. Tendo que colocar medicação de altíssimo risco para a vida dos pacientes sem a bomba infusora, que é a bomba infusora que controla essa quantidade de remédio que entra no paciente, podendo levar até a morte do paciente”, explica um funcionário.

A Sala Amarela, intermediária, está superlotada. A capacidade é para dez pacientes, mas tem 30 pessoas. Pacientes em poltronas e macas sem nenhum recurso. Faltam equipamentos e também profissionais.

“Na Sala Amarela tem que ter um médico, dois enfermeiros e cinco técnicos, isso para dez pacientes. Na verdade, nessa madrugada a gente não tinha nenhum médico na Sala Amarela”, revelou o funcionário.

O coordenador médico da emergência da Barra, Bruno Guimarães, disse que não faltam médicos na unidade e falou sobre o a lotação no necrotério.

“Quando há superlotação ou quando há um congestionamento nesse necrotério, entramos em contato com o Hospital Lourenço Jorge, partindo do princípio que somos uma unidade pré-hospitalar e integramos esse complexo, e fazemos essa transferência dos corpos. Quanto ao número de leitos e equipamentos, eles são comportados de acordo com a estrutura da unidade. Nós conseguimos e sempre atendemos um número relativamente maior do que aquele que comportamos na unidade. E nós conseguimos alinhar com o Lourenço Jorge e com a Central de Regulação a transferência desses pacientes para não haver uma superlotação dessas salas”, disse Guimarães.

Falta de material básico e salários em atraso

Na CER do Leblon, 12 leitos de CTI estão bloqueados por falta de material e equipes. A emergência não tem material básico para atender os pacientes.

“A gente não tem um termômetro para medir a temperatura do paciente. Nós não temos aparelho de pressão. A gente não tem oxímetro para medir saturação do paciente”, disse um funcionário.

Na CER do Centro também falta material. E os profissionais estão fazendo um rodízio porque os salários estão atrasados e o vale-transporte também.

“Agora estão indo para o segundo mês sem pagamento. Os materiais, os insumos tão muito difíceis. Então, está um caos na unidade”, disse um funcionário.

A Secretaria Municipal de Saúde disse que não falta material na Coordenação de Emergência do Leblon e que trabalha junto com a Secretaria de Fazenda para regularizar os repasses para as organizações sociais que administram a CER do Leblon e a CER do Centro.

« leia mais notícias

fonte: https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/2019/08/06/pacientes-dividem-espaco-com-corpos-no-cer-da-barra-da-tijuca-zona-oeste-do-rio.ghtml

Cadastre-se para receber a nossa newsletter: